BLOG

Vinil
25/11/2016

The Who

Enquanto lê o post abaixo, ouça os grandes sucessos da banda The Who clicando aqui.

The Who é uma banda de rock britânica surgida em 1964. A formação original era composta por Pete Townshend (guitarra), Roger Daltrey (vocais), John Entwistle (baixo) e Keith Moon (bateria).

Estrearam como The Detours e, como a maioria dos grupos ingleses, eram fortemente influenciados pela música dos negros americanos. Trocaram de nome para High Numbers e lançaram um compacto. Insatisfeitos, mudaram para The Who e se tornaram uma das bandas mais populares entre os mods britânicos, uma subcultura dos anos 1960 que unia moda, motonetas e gêneros musicais como o rhythm and blues, soul e música beat.

Vinil da Semana - The Who

Certo dia, quando estavam tocando numa taverna de teto baixo, Pete Townshend, com uma performance arrebatadora bateu sua guitarra no teto e acabou avariando o instrumento. Furioso com o prejuízo ele a destruiu e, por conta disso, o público aumentou consideravelmente no dia seguinte.

Townshend era o centro das tensões da banda, esforçando-se sempre para surgir com ideias inovadoras e reflexivas, enquanto Daltrey concentrava sua energia em interpretações que refletiram um estilo agressivo e dramático de rock, como em My Generation, onde ele exibe uma ansiosa gagueira. Keith Moon era inovador e exuberante na bateria, de técnica fluída e acentuada com ataques selvagens nos chimbaus. Possuidor de um espírito engraçado e de atitudes inesperadas era considerado um lunático por muitos. Segundo publicações especializadas, John Entwistle foi o melhor baixista do rock de todos os tempos, tocava acordes extremamente altos e intrincados para compensar a falta de uma guitarra rítmica na banda.

Os primeiros álbuns do Who são repletos de canções pop curtas com temas recorrentes de rebelião juvenil e confusão sentimental e, por esta razão, foram influências primordiais para o surgimento do punk rock e do power pop.

Vinil da Semana - The Who

O primeiro sucesso foi o compacto simples I Can’t Explain, lançado em 1965, seguido por Anyway, Anyhow, Anywhere. A estreia em LP se deu no mesmo ano, com My Generation, que trazia canções que se tornariam hinos do movimento mod, como The Kids Are Alright e a faixa-título, que contém o famoso verso “I hope I die before I get old” (Eu espero morrer antes de envelhecer).

O som da banda evoluiu e Townshend passou a tratar os álbuns como projetos unificados. O primeiro sinal dessa ambição surgiu em A Quick One (1966), que trazia uma coleção de canções que reunidas contavam uma história. Em seguida veio The Who Sell Out (1967), um disco conceitual que pretendia simular a transmissão de uma estação de rádio pirata, incluindo jingles e propagandas. Nesse ano, fizeram uma apresentação explosiva no primeiro grande evento do rock, o Monterey Internacional Pop Festival, quando destruíram quase toda a aparelhagem.

Os ensinamentos do guru persa Meher Baba passaram a exercer influência importante nas composições do grupo, e essa conjunção de ideias acabaria desaguando em Tommy (1969), sua primeira ópera-rock a alcançar o sucesso. A história virou filme, que contou com a participação da banda e de ídolos do pop/rock como Eric Clapton, Tina Turner e Elton John – além de Ann-Margret, Oliver Reed e Jack Nicholson. A direção coube a Ken Russell, cineasta que se especializou em biografar compositores clássicos como Franz Liszt, em Lisztomania (1975), produção estrelada pelo The Who e Rick Wakeman entre outros amigos.

Depois de participar do festival Woodstock’69, a banda partiu para a gravação do álbum Live at Leeds, em fevereiro de 1970, considerado um dos melhores registros ao vivo de todos os tempos. O grupo se apresentou no Festival da Ilha de Wight e, na sequência, fez Who’s Next, que entrou na lista dos 200 álbuns definitivos do Rock and Roll Hall of Fame. Ufa!

Voltariam ao estúdio para fazer mais uma ópera-rock, Quadrophenia (1973), que se tornou um filme em 1979, com participação do cantor Sting da banda The Police. Já o álbum The Who by Numbers, de 1975, foi um novo rumo e traz diversas canções introspectivas e depressivas.

Vinil da Semana - The Who

Produziram em 1978 o LP Who Are You, mas o lançamento foi ofuscado pela morte de Keith Moon, vítima de overdose acidental provocada por um remédio prescrito para combater o alcoolismo. Kenney Jones, ex-Small Faces, assumiu seu lugar. Nessa época saiu o primeiro grande documentário sobre a banda: The Kids Are Alright, que traz registros de shows, videoclipes e entrevistas realizados entre 1965 e 1978.

O grupo chegou a lançar dois álbuns com Kenney Jones na bateria, Face Dances (1981) e It’s Hard (1982), depois embarcou em uma turnê de despedida, com multidões lotando estádios e arenas.

Em 1989, retornaram para comemorar os 25 anos de carreira e duas décadas do lançamento de Tommy. Em 1990, foram incluídos no Hall da Fama do Rock and Roll – precedidos apenas por Beatles, Led Zeppelin e Rolling Stones.

Zak Starkey assumiria a bateria do grupo na turnê de Quadrophenia, em 1996 – ele tinha uma formação sólida, era afilhado de Keith Moon e filho de Ringo Starr.

Nas vésperas de uma nova turnê, em 2002, John Entwistle foi encontrado morto em seu quarto no Hard Rock Hotel em Las Vegas, EUA – abatido por um problema cardíaco aliado ao consumo de cocaína.

Em 2004, o Who participou do evento Live 8, dois anos depois lançou o álbum Endless Wire. Em sequência, saiu o documentário Amazing Journey: The Story of The Who, dirigido por Murray Lerner e Paul Crowder, que conta a história da banda a partir de gravações ao vivo e de arquivos inéditos.

Em agosto de 2012, apresentaram-se no encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres. Em junho de 2014, caíram novamente na estrada para comemorar 50 anos e, depois de infindáveis despedidas, têm data marcada para sua primeira vez no Brasil – entre março e abril de 2017. Velhos, mas vivos.