NOTÍCIAS

Dicas de Comunicação
12/09/2017

Growth Hacking aplicado nos negócios

Growth Hacking é um termo utilizado desde 2010 para tratar da eficiência na era digital. O termo pode assustar um pouco, mas não é nada complexo. Foi utilizado, pela primeira vez, por Sean Ellis, que definiu Growth Hacking como uma evolução do marketing. É pró-crescimento e usa o marketing em sua essência, desde os primórdios, sem desvios de caminhos ou truques fáceis ou milagrosos.

Confira um pouco mais sobre Growth Hacking e entenda porque essa é uma técnica fundamental para o crescimento de sua empresa:

Growth Hacking: definição

O Growth Hacking trata da busca pela eficiência em todos os processos, sejam comunicacionais ou não. A procura por “atalhos” que podem diminuir o tempo e burocracia, aumentando os ganhos efetivos em cada ação é o resultado dessa ferramenta. Trata-se de uma interseção entre o marketing e o setor de desenvolvimento de produto/serviço.

Através da aplicação do Growth Hacking – e já existem profissionais específicos para essa área – a empresa consegue identificar quais os produtos serviços que as pessoas procuram e precisam, de fato. Ao eliminar desperdícios de materiais, de tempo e de mão de obra, a empresa encontra o produto/serviço ideal, que atende o consumidor de maneira efetiva. Evita, portanto, ficar quebrando a cabeça com pontos que em nada acrescentam à produtividade.

Alguns exemplos de aplicação do haking:

Mc Donald’s – inspirado na linha de produção de carros, o empresário criou uma linha de produção de hambúrgueres e, a partir dessa mudança, alcançou um crescimento exponencial do negócio. Isso foi um “hack” aplicado ao produto. Importante salientar que nem sempre o crescimento exponencial gera grandes lucros imediatos. A partir da implantação de um hack, é necessário alcançar uma estabilidade e aparar as arestas para, enfim, conseguir obter resultados mais efetivos.

Hotmail:  O Hotmail foi criado por desenvolvedores que queriam trocar mensagens fora do ambiente corporativo. O que ajudou a plataforma a crescer foi simplesmente o fato de que eles acrescentavam, ao fim do e-mail, a frase: “Ps.: eu te amo! Faça sua conta grátis no Hotmail. ” Esse foi o hack que garantiu a adesão e o crescimento da plataforma. Uma simples frase.

Twitter:  quando foi lançada, a plataforma não oferecia um suporte para novos usuários. Assim, quem criasse uma conta se deparava com uma tela em branco e, na maioria das vezes, não entendia a ferramenta e não sabia por onde começar. Quando os criadores do Twitter implementaram o hack de “sugestão de pessoas para seguir” eles conseguiram manter a adesão dos usuários – que antes desistiam – e fazer com que as pessoas entendessem, de fato, como o canal funcionava.

Dropbox:  para cada amigo indicado, ganhe mais espaço. Isso é um Hack.

99 táxis:  lançaram o aplicativo com o diferencial de não cobrar dos taxistas nenhum tipo de taxa por corrida. Fizeram isso por um longo tempo. Em contrapartida e voluntariamente os taxistas indicavam o aplicativo aos passageiros. O crescimento começou a partir daí.

Como aplicar o growth hacking em meu negócio?

Comece entendendo seu cliente e a visão dele em relação ao seu produto ou serviços. Faça pesquisas e pergunte aos interessados – seus consumidores – sobre a relevância do seu produto na vida deles. Essa pesquisa é chamada de Product Fit, pois aproveita os feedbacks para aperfeiçoamento da produção e dos trabalhos desenvolvidos.

Se em uma pesquisa o empresário constatar que menos de 40% do público considera o produto essencial, é hora de mudar de estratégia e até mesmo de produto. Buscar diferenciais que realmente mudem a vida do consumidor é o que faz com que sua empresa/produto sejam necessários.

Trabalho em equipe

Vale ressaltar ainda que o Growth Hacking se beneficia das estratégias digitais, mas não estão limitadas a elas. A equipe de Growth Hacking deve ser multidisciplinar, atuando de maneira cooperada para que todas as mudanças e implementações aconteçam de forma sincronizada e coerente. Só assim é possível aproveitar os benefícios dessa técnica para conseguir o crescimento do negócio.

Padronize suas mensurações

Como sabemos, a mensuração de dados é essencial para acompanhar o feedback e o crescimento dos serviços e produtos. No entanto, é necessário de padronizar as métricas, para evitar que ao invés de uma análise coesa, haja uma confusão e mistura de dados. “Escolha uma métrica de crescimento e devolva todo o trabalho a partir dela”, orienta.

Para cada métrica: qual o impacto do crescimento dessa métrica para o meu produto/serviço? Como essa métrica impacta diretamente o meu negócio? Tenha em mente uma estratégia bem construída, focada nos pontos relevantes. Com isso você será capaz de otimizar seu resultados e gerar mais receita para o seu negócio.