NOTÍCIAS

Viajando com a prefácio
28/02/2016

Dicas da Bia para quem quer conhecer Caraíva-BA

Vez ou outra a gente usa esse espaço para que alguém da nossa equipe nos presenteie compartilhando uma experiência de viagem. Além de ser gostoso ler as histórias, é interessante descobrir novas possibilidades para roteiros futuros. Hoje foi a vez da Beatriz, coordenadora de assessoria de imprensa e publicações. Confira abaixo e se resolver conhecer o mesmo lugar, imprima as dicas e leve na mala com você!

BIA, PARA ONDE VOCÊ FOI?

Caraíva (Sul da Bahia – Região de Porto Seguro – cerca de 60 km abaixo de Trancoso e Arraial d’Ajuda). Essa região também é conhecida como Costa do Descobrimento.

QUANDO?

Frequentei o vilarejo durante 10 verões seguidos, acredito que a última vez foi há uns 4 anos. Sempre no Réveillon e no Carnaval.

 COM QUEM?

Em todas, com meu ‘namorido’ Yago, meu parceiro nessas aventuras, e variando com alguns amigos que sempre iam para lá. A presença mais marcante é da amiga Janice, que tinha casa na rua do Cajueiro, nosso QG.

                     Chegada. É a primeira visão que se tem quando termina a estrada de 50 km de terra, da famosa barra do rio Caraíva.

Chegada. É a primeira visão que se tem quando termina a estrada de 50 km de terra, da famosa barra do rio Caraíva.

 

Vida de nativo na vila

Vida de nativo na vila

 

QUAL ERA O OBJETIVO DAS VIAGENS?

“Brincar de índio! ” (risos). Fugir do estresse da vida urbana, do celular, do automóvel, de ruas asfaltadas, de luz elétrica, enfim…quando comecei a frequentar Caraíva, não tinha luz. Era tudo na base do gerador e banho racionado e frio. Também, naquele calor, nem dava vontade de ter água quente. E com o mar azul, o pôr-do-sol no rio Caraíva, o bate-papo na beira do rio, no Bar do Pará com nativos, índios, gente do Brasil todo e estrangeiros – uma Babel – para quê TV, celular e internet?

Caraíva são ruas de areia, casas coloridas, noites estreladas com lua cheia, a luz de velas, bares e restaurantes para todos os gostos, música de qualidade e muita gente interessante. Ah! O carro fica do outro lado do rio. A travessia é de canoa e para levar as malas até o local de estadia, só de carroça.

Vila de Caraíva - beira rio

Vila de Caraíva – beira rio

QUAIS PONTOS TURÍSTICOS (OU NÃO) CONHECEU E INDICA?

– Praia do Espelho: é o top – mas tem que chegar cedo, pegar maré baixa e dia ensolarado. Pode ser uma caminhada (9km), barco ou de carro. Experimente ir a pé (volte de barco) e de carro, são duas visões muito legais.

– Praia do Satu: infelizmente, o Satu já virou estrela, mas sua ‘birosquinha’ continua lá. Fica no caminho para o Espelho. Mar azul turquesa com direito a banhos de água doce nas lagoas.

– Curuípe: depois do Espelho – uma opção mais sofisticada, para quem quer tomar um espumante à beira do mar, esticado em espreguiçadeiras cheia de almofadas e comer um prato bem-elaborado ($$$$$$)

Ponto dos Mentirosos do Boteco do Pará

Ponto dos Mentirosos do Boteco do Pará

– Outeiro das Brisas: depois de Curuípe – praia particular do condomínio de mesmo nome. Ignorei esse detalhe e entrei assim mesmo. Muito bonito.

– Taípe: linda praia de falésias – indo para Arraial d’Ajuda – vale um passeio de carro antes do Natal ou depois do Carnaval para ver Trancoso e Ajuda tranquilos e conhecer as redondezas.

– Ponta do Corumbau: ponta oposta ao Espelho – muito bacana;

– Barra do Rio Caraíva: no fim de tarde, alugue um caiaque ou um stand-up e curta o “visu”.

Pôr do sol é sempre no rio Caraíva. Nativos nadando

Pôr do sol é sempre no rio Caraíva. Nativos nadando

 

COMO É A GASTRONOMIA POR LÁ?

De comida típica da Bahia, com muitos frutos do mar, a massas, japonês e gastronomia internacional. Variado. Mas, só em alta temporada.

– Bar do Pará: na alta temporada, o pôr-do-sol é lá, a cerveja é ignorantemente gelada, o pastel de arraia e camarão é a pedida. Vai todo mundo para lá fazer aquele happy hour. No Carnaval, é o point dos blocos.

Cerveja gelada do Boteco do Pará, com pôr do sol no rio Caraíva

Cerveja gelada do Boteco do Pará, com pôr do sol no rio Caraíva

– Bar da Lagoa: baladas noturnas garantidas (de música eletrônica, rock and roll e MPB contemporâneo). Há shows. Gastronomia internacional.

– Bar do Porto: pizzaria na beira do rio, com música ao vivo. Surgiu em torno da banda Caraivana, formada por paulistas, brasilienses, cariocas e nativos, que se reunia na esquina para tocar chorinhos e música brasileira, num verão, acho de 2002.

Pasteis do Boteco do Pará de arraia e camarão - imperdível

Pasteis do Boteco do Pará de arraia e camarão – imperdível

No ano seguinte, um francês abriu uma pizzaria super estilosa no local (a pizza é uma delícia, por sinal) e passou a reunir a banda para tocar, todo verão, no Bar do Porto. A galera vai para lá curtir um bom e velho MPB. Quando fez 10 anos de inauguração do bar e criação da banda, gravaram um DVD. Foi a última vez que fui a Caraíva.

HOUVE ALGUM ACONTECIMENTO INUSITADO, ENGRAÇADO, ESPECIAL QUE GOSTARIA DE COMPARTILHAR?

Alguns, que servem até como dicas:

-Ao caminhar rumo ao Satú e ao Espelho, de olho na maré. Se ela subir, tem trechos que não tem como atravessar, ao não ser por cima das pedras. Me ralei todaaaa!

-Para conhecer o mangue de caiaque, o ideal é ir e voltar conforme a correnteza do rio, a não ser que você tenha músculos, do contrário, você vai remar para não sair do lugar…

Praia do Curuípe (ao lado do Espelho) um dos mirantes para quem chega de carro

Praia do Curuípe (ao lado do Espelho) um dos mirantes para quem chega de carro

-Se for caminhar até a Ponta do Outeiro, faça isso de forma que esteja em Curuípe até às 16h, para pegar o barco de volta. Ao não ser que esteja de carro. Do contrário, se prepare para correr atrás do barco, pegar carona ou curtir uma caminhada noturna bem aventuresca.

TEM MAIS DICAS PARA OS NOSSOS LEITORES QUE PRETENDEM CONHECER CARAÍVA?

-Hoje, indico sempre ir no Carnaval. Réveillon fica muito cheio e caótico. O Carnaval fica cheio, mas não fica caótico, do tipo falta água. Aproveitar o período pós-carnaval, para conhecer a vida dos nativos com o fim da alta temporada é imperdível. As praias ficam desertas, muitos restaurantes e pousadas fecham, mas é aí que você conhece a verdadeira essência de Caraíva. Jamais fique menos de 10 dias. Serão 10 sábados seguidos e inesquecíveis.

mesmo depois que a luz chegou, a vila adotou o projeto "Luz com Estrelas". Luz somente dentro das casas. Nas ruas, bares e restaurantes, somente velas. Essas luminárias são marcas registradas do artesanato local, que retratam a vila. Essa foi tirada no Bar do Porto, no show da banda Caraivana.

Mesmo depois que a luz chegou, a vila adotou o projeto “Luz com Estrelas”. Luz somente dentro das casas. Nas ruas, bares e restaurantes, somente velas. Essas luminárias são marcas registradas do artesanato local, que retratam a vila. Essa foi tirada no Bar do Porto, no show da banda Caraivana.

Fora de temporada, em abril, maio, julho ou setembro, dizem que é uma boa pedida.

-Não pegue a estrada de terra que leva a Caraíva à noite. São 50 km de uma estrada cuja o estado de conservação varia e, quem não conhece, pode se perder. Infelizmente, Caraíva já virou um destino turístico conhecido e, por isso, atrai assaltantes. Fique esperto e, nas pousadas ou casas de aluguel, esconda bem o dinheiro, em lugares pouco óbvios.

Carnaval 2012 no Boteco do Pará - point tradicional - primeiro da vila

Carnaval 2012 no Boteco do Pará – point tradicional – primeiro da vila

-Em alta temporada, muitos restaurantes e bares aceitam cartões.

-Celular pega em alguns pontos.

-Quem vai de avião, chega em Porto Seguro e pega ônibus ou táxi ($$$$$). Mas, vá de carro, vale a pena as 11 horas de viagem, para conhecer a região. Mas, prepare os pneus e a suspensão, é meio off-road, nada que um “Uninho Adventure” não dê conta.

PRETENDE VOLTAR?

Sempre! Morro de saudades!

Gostou das dicas? Tem dicas para dar também? Fique à vontade! Esse espaço também é seu.

Agradecemos à Beatriz por compartilhar tantos detalhes e fotos legais com a gente.