NOTÍCIAS

Vinil
20/04/2018

Dia do Disco – TAG do Vinil com Angelo Coelho

O Angelo está sempre escrevendo pra vocês sobre álbuns inesquecíveis na história da música. Dessa vez, ele é o nosso entrevistado e vai falar sobre os discos que não podem faltar em sua prateleira.

 

O Disco de Vinil, ou Long Play (LP), criado no final da década de 1940, certamente foi uma das maiores revoluções para o mercado fonográfico. E desde “The Voice of Frank Sinatra”, de 1946, que foi relançado para o formato em 1948, sendo o primeiro LP de música popular, tem quem é apaixonado e não deixa de lado a sonoridade típica dos vinis.

Hoje, 20, no Dia do Disco, pegamos emprestado a coluna “Vinil da Semana” do nosso diagramador, e amante de um bom som de vitrola, Angelo Coelho, para entrevistá-lo em uma Tag sobre os discos que marcaram a sua vida. Afinal, quem não tem dúvida na hora de encontrar o álbum perfeito para cada momento.

Qual disco representa a sua infância?

Vinil corte

Pra começar, eu chamo essas enquetes de “coisas que não existem”, devido à dificuldade de se definir algo com apenas um exemplo. Mas um dos discos que me marcou foi Jovem Guarda, de Roberto Carlos.

Qual o melhor disco da sua banda favorita?

O álbum Revolver, dos Beatles (1966), não por conter as melhores músicas da banda, mas pela diversidade. Era o começo da psicodelia e esse disco trouxe músicas muito diferentes entre si: de uma bela composição tradicional de Paul McCartney a um som arrasador de John Lennon, como, também, uma viagem aos sons da antiga Índia, feita por George Harrison.

Um disco nostálgico:

Chega de Saudade, de João Gilberto.

Um disco para um momento romântico:

Romântico é muito extenso, pois pega todas as épocas: de Angela Maria, Elizeth Cardoso, Lúcio Alves ou Frank Sinatra a Tom & Vinicius e Chico Buarque, nas vozes de Maysa, Elis, Bethânia, Joana… até o mais popular de Jane & Herondy. Mas vou ficar com o romantismo-erótico de Jane Birkin – Serge Gainsbourg, que contém uma das músicas mais censuradas da história, Je t’aime… Moi non Plus (de 1969).

Um disco pra relaxar:

Qualquer um de Toninho Horta.

Algum disco te decepcionou?

Não propriamente, porque não era realmente importante.

Qual foi o primeiro e o último disco que você comprou?

O primeiro, acho que foi The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd, usado, arranhado. De vez em quando ganho alguns, mas o último que comprei foi um de Renato e Seus Blue Caps, de 1968.

Pronto, agora é só dar o play nessa playlist perfil especial no Spotify com a seleção dos hits citados acima: bit.ly/PlaylistAngeloCoelho